Famílias em situação de extrema pobreza vão receber R$ 2,4 mil no Piauí






No Piauí, 1.000 famílias que se encontram em situação de extrema pobreza estão sendo beneficiadas com ação do Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Piauí (Emater), em parceria com o Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) e da Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead). O Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais atende 13 municípios e movimenta mais de R$ 2 milhões.

Segundo o diretor-geral do Emater, Marcos Vinicius, o termo de cooperação técnica que foi realizado com a SDR vem apresentando os primeiros resultados. “O Emater vem buscando nestes anos, garantir que as famílias beneficiárias tenham uma renda mínima, fazendo ainda com que possam multiplicar esses valores por meio da assistência técnica continuada, executando projetos em diversos arranjos produtivos. A ação proporciona para essas famílias valores a fundo perdido, acima de tudo gerando trabalho e riquezas no estado”. Afirma.

Cada família recebe um valor de R$ 2.400, a serem investidos na produção agrícola ou não agrícola visando à geração de renda de famílias rurais do Piauí, o repasse é feito em duas parcelas e o programa objetiva incentivar as famílias beneficiarias a implementarem projetos produtivos elaborados em conjunto com extensionistas do Emater, que constitui-se como eixo condutor da estratégia do Programa de Fomento e, nesse sentido, assume um importante papel no combate à pobreza extrema, sabendo que o valor recebido deve ser para aquisição de insumos e equipamentos.
Beneficiários do Programa Fomento, e moradores do Município de Pau d’Arco, Maria do Amparo Lemos Silva e José Arimáteia da Silva, conhecido popularmente por “Nenzinho”, tinham o sonho de produzir e investir no plantio de horticultura, mas as dificuldades financeiras os impediam de prosseguir.

“O Programa trouxe uma troca de conhecimento entre nós agricultores e o técnico que nos acompanha. E pode ter certeza que é uma importante fonte de renda que sustenta minha família”, conta empolgado o senhor Nenzinho que, com o recurso do programa, investiu na compra de sementes e já pensa em aumentar sua produção de hortaliça.

O recurso do programa apoia o desenvolvimento do projeto produtivo de cada família e permite ainda ampliar ou diversificar a produção de alimentos e as atividades de geração de renda que abrangem avicultura, suinocultura, ovinocultura, caprinocultura, piscicultura, hortaliça e, além disso, favorece também atividades não agrícolas como fábrica de vassouras, salão de beleza, borracharia, lanchonete e artesanato.

Fonte: Meio Norte

Portal Uruçuí News

,