Mentor do estupro coletivo em Castelo do PI é condenado a 100 anos e 8 meses de prisão

Após aproximadamente 17hs de julgamento, Adão Jose Silva Sousa foi condenado pelo tribunal popular do júri com a pena de 100 anos e 8 meses de prisão em regime fechado.

O acusado responde pelos crimes de homicídio, tentativa de homicídio, corrupção de menores, estupro e porte ilegal de arma de fogo.

Adão é acusado de ser o mandante do crime que chocou todo o país no dia 27 de maio de 2015, na cidade de Castelo do Piauí onde Daniele Feitosa morreu no hospital 10 dias depois de ter sido violentada.

Ao chegar no Fórum Desembargador Antônio de Freitas Resende para ser julgado, o réu foi recebido pela população sob gritos de “Justiça” e “assassino”. O réu ao descer da viatura, alegou inocência e disse que queria justiça.
A audiência iniciou pelas vítimas sendo ouvidas, logo em seguida três testemunhas de defesas e em seguida três testemunhas de acusação. Logo após houve os debates entre acusação e defesa.

A acusação foi representada pelo promotor Ricardo Trigueiro e o advogado de acusação João Washington de Andrade Melo. Já a defesa foi representada pelos defensores públicos Darci Filho e Leandro Ferraz.

Cerca de 30 policias estiveram atuando na segurança do julgamento. A rua onde fica o Fórum foi interditada e os veículos foram proibidos de circular na via.

Quando encerrou a audiência, Adão foi levado pela parte de trás do Fórum até a viatura para se deslocar até o presídio CDP (Casa de Detenção Provisória) na cidade de Altos.
 A pena de Adão foi a maior aplicada em toda história de Castelo do Piauí.
Fotos e matéria: João Pedro Cardoso
Fonte: CidadesnaNet

Portal Uruçuí News

,